Pular para o conteúdo principal

Fantômas, o guerreiro da justiça


Criado em 1930 por Takeo Nagamatsu, o personagem Fantômas, o guerreiro da justiça (Ōgon Bat ou Ōgon Batto, literalmente Morcego Dourado) é o primeiro super-herói japonês, o personagem estreou em kamishibais, uma espécie de teatro itinerante narrado com ilustrações, as origens dos kamishibais remontam ao século XII, quando surgiram os emakimonos, rolos de pintura (semelhantes a pergaminhos) que eram usados para contar histórias a uma plateia de analfabetos.




Tanto os emakimonos, quanto os kamishibais são exemplos de arte sequencial, onde as histórias em quadrinhos também estão enquadradas, o termo muitas vezes é usado um sinônimo para histórias em quadrinhos, mas trata-se de um termo mais amplo.


O personagem era uma caveira dourada vivendo nos Alpes japoneses e apresentava superpoderes como superforça e voo, antecedendo personagens como Superman, além de Fantômas, surge outro herói com o poder de voo nos kamishibais, o Príncipe de Gamma.

O personagens seria adaptado em 22 mangás.




Numa época em que não havia controle de direitos autorais, o personagem foi copiado por outros artista, em 1935 teve um mangá por Yuasa Kumesaku, onde o personagem é um vilão.




Em 1947, o personagem ganha dois mangás, uma pelo próprio Takeo e outro por por Osamu Tezuka, em 1950 ganha seu primeiro filme,Ôgon bat: Matenrô no kaijin, lançado pela Tokyo Eiga Haikyuu (empresa que daria a Toei Company) e dirigido por Toshio Shimura.
O mangá de Osamu Tezuka




Em 1959, Satoshi Inoue produziu um mangá para a editora Nakamura Shoten.




Em 1966, a Toei lança um novo filme, estrelado por Sonny Chiba como Dr. Yamatone e Osamu Kobayashi como a voz do Fantômas, o dublê não foi creditado, no ano seguinte, surge o anime, produzido pelas produtoras Daichi Doga e Tele-Cartoon Japan (a mesma que animaria Johnny Cypher in Dimension Zeroe Dongyang Animation a série teve apenas uma temporada de 52 episódios e recebeu nomes diferentes ao redor do mundo, todos evocando a parte sobrenatural do personagem, Fantaman na Itália, Fantasmagórico em países hispânicos e Phantoma na Austrália e nos Estados Unidos, inicialmente no Brasil também era chamado de Fantaman quando exibido pela TV Tupi e logo depois de Fantômas pela TV Record, nome que remete ao famoso ladrão da literatura francesa e a um lutador brasileiro de telecatch (um tipo de luta livre) que usava uma máscara tal qual os lutadores mexicanos, curiosamente, o Fantômas literário inspirou uma popular série de quadrinhos  mexicana, na Itália, o filme de 1966 recebeu o nome de  Il ritorno di Diavolik (que remete ao nome dos personagens do gênero fumetto neri, que tem Diabolik como o personagem principal). A série de teve um mangá na revista Weekly  Shōnen King por Koji Kada (roteiro) e Daiji Kazumine (desenhos), Kada já havia escrito kamishibais do personagem na década de 50 entre 1966 e 1967 e outro por Satoshi Inoue baseado no anime publicado pela revista Shōnen Gahōsha entre 1967 e 1968.
Weekly  Shōnen King


Shōnen Gahōsha 
Edições encadernadas do mangá por Satoshi Inoue













Conforme mencionei anteriormente, apesar das diferenças entre a Coréia do Sul e o Japão, a produção coreana foi bastante influenciada pela japonesa, os animes e mangás chegaram no país muitas vezes através da pirataria, Mazinger Z inspirou a série Robot Taekwon V (1976) dirigido por Kim Cheong-gi, dentre esses genéricos estava um longa-metragem de animação também chamada de Morcego Dourado em coreano, curiosamente, o personagem é misto do Fantômas com o Batman, o herói americano também muito popular nesse período por conta da série estrelada por Adam West, a ponto de ter um mangá oficial no Japão com arte de Jiro Kuwata, além do Batman, também teve uma versão coreana da Mulher-Maravilha em 1978, Run, Wonder Princess! (날아라 원더공주), também dirigido por Kim Cheong-gi.







Em 1972, é lançado um outro filme japonês, a comédia Ôgon Batto ga Yattekuru (黄金バットがやってくる) pela Toho (a mesma de Godzilla).

Osamu Tezuka usou o personagem duas vezes novamente, uma em 1982 e outra em 1983.

Em 1991 surge mais uma produção coreana, o filme Yong Gu and the Golden Bat (영구와 황금박쥐).



Em 2000, o estúdio AIC (Anime International Company) anunciou um reboot do anime dirigido por Shinichi Watanabe (não confundir com Shinichiro Watanabe de Cowboy Bebop e Samurai Champloo), contudo, o projeto foi cancelado, sobrando apenas o teaser.

Entre 2013 e 2014, a Cult Classic lançou no Brasil os DVDs do anime e o filme, ambos legendados.

Links úteis




Ogon Bat (Golden Bat) - International Heroes

Cult Classic lança novos DVDs do anime 'Fantomas'

Anime 'Fantomas' será lançado no Brasil em DVD [Atualizado]

'Don Drácula' e filme do 'Fantomas' serão lançados em DVD

Sarcophagus of Atlantis

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Muttley e Rabugento

Muttley e Rabugento (Mumbly no original) são bem parecidos, nesse texto pretendo explicar as origens criativas contar um pouco da história desses personagens ao longo dos anos.

Mangás brasileiros ao longo das décadas

Esse texto é uma atualização do texto publicado no site Kotatsu Wikia, onde fui convidado a colaborar em um texto pré-existente.


Histórias em Quadrinhos em domínio público nos Estados Unidos

Quando se diz que uma obra está em domínio público, significa que seus direitos expiraram e que pode ser usada livremente. Contudo, definir o domínio público não é uma tarefa fácil.