Pular para o conteúdo principal

Kismet, o primeiro super-herói muçulmano

Em 2015, fiz um post sobre o primeiro super-herói americano de origem asiática, o Green Turtle, eis no mesmo ano de 1944, surgia também o primeiro super-herói muçulmano, Kismet, Man of Fate, muitos anos antes de Sooraya Qadir ou Kamala Khan, ambas da Marvel Comics.





Assim como o já citado Green Turtle e o Capitão América, foi criado para combater as forças do Eixo para a revista Bomber Comis da Elliot Publishing Company, logo depois conhecida como Gilberton e responsável pelas revistas Classic Comics e Classics Illustrated, responsável pela quadrinização de obras literárias, que no Brasil originou a revista Edição Maravilhosa da EBAL de Adolfo Aizen, que a partir da edição 24, passou a publicar também adaptações de obras da literatura brasileira, começando com O Guarani de José de Alencar pelo haitiano André LeBlanc.

Sua criação foi atribuída  a Omar Tahan, atualmente acreditasse que esse era um pseudônimo da escritora Ruth Roche, Roche fez parte do estúdio Eisner-Iger e escreveu para personagens como a Lady Fantasma (hoje na DC Comics) os tarzanides da Fiction House: Sheena, Kaanga e Camilla, após o fim do Eisner-Iger, integrou o S. M. Iger Studio e chegou a ser sócia de Jerry Iger em outro estúdio, o Roche-Iger.

Voltando ao personagem, Kismet  era um argelino que possuía os poderes de precognição limitada (ou seja, poderia prever alguns eventos futuros) e acrobacia. Seu nome tem origem turca e é usado como sinônimo de destino (com isso, a palavra fate fica redundante no seu nome). Kismet lutava contra nazistas e nunca teve seu verdadeiro nome revelado, a revista Bomber Comics durou apenas 4 edições.

Tal qual Green Turtle, Kismet entrou em domínio público e foi resgato no século XXI, em 2015, foi lançada uma campanha de financiamento coletivo no site Kickstarter para publicação da antologia Broken Frontier, publicada pela A Wave Blue World de Chin-Tanners, na antologia, Kismet teve uma história produzida pelo escritor Aaron David Lewis, que também atuou como pesquisador sobre histórias em quadrinhos e literatura e o desenhista filipino Noel Tuazon, cores de Rob Croonenborghs e letras de Kel Nuttal, em 2016, a equipe publica uma história curta na revista digital GEEKED Magazine, em 2017, a A Wave Blue World republica a história em uma revista one-shot para o Free Comic Book Day (Dia da revista em quadrinhos gratuita), no mesmo ano, uma webcomics é lançada no site da editora, com a mesma equipe e colaboração do escritor Taylor Esposito, a editora promete lançar uma edição encadernada com 100 páginas em 2018. Na série de Lewis, o nome verdadeiro de Kismet é Khalil Qisma e ao invés de ser caucasiano, é retratado como negro (uma vez que a Argélia fica na África).



Fontes e referências


15 Muslim Characters In Comics You Should Know

How Censors Killed The Weird, Experimental, Progressive Golden Age Of Comics

Minorias nos Quadrinhos: O “outro” no mundo dos super heróis.

Kismet, Man of Fate - Wikipédia

Kismet, Man of Fate - TV Tropes

Kismet - Public Domain Super Heroes

Bomber Comics #1-4 - Comics Book Plus

kismet - Wikitionary

Comentários

  1. Matéria Muito Legal! Sempre escavando fundo a História das Histórias em Quadrinhos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Muttley e Rabugento

Muttley e Rabugento (Mumbly no original) são bem parecidos, nesse texto pretendo explicar as origens criativas contar um pouco da história desses personagens ao longo dos anos.

Mangás brasileiros ao longo das décadas

Esse texto é uma atualização do texto publicado no site Kotatsu Wikia, onde fui convidado a colaborar em um texto pré-existente.


Histórias em Quadrinhos em domínio público nos Estados Unidos

Quando se diz que uma obra está em domínio público, significa que seus direitos expiraram e que pode ser usada livremente. Contudo, definir o domínio público não é uma tarefa fácil.