Pular para o conteúdo principal

Argo, realidade e ficção


Em 1979, Jack Kirby foi contrato para fazer os concepts de uma adaptação do romance Lord of Light de Roger Zelazny (publicado pela editora portuguesa Europa-América com o título O Senhor da Luz), muito inspirado pela mitologia hindu, o projeto envolvia a criação de um parque temático, o filme seria produzido por Barry Geller, que havia comprado os direitos cinematográficos do livro.



O filme acabou sendo cancelado, curiosamente,  o agente da CIA, Tony Mendez precisava criar um filme falso para resgatar  diplomatas americanos no Irã, em uma operação em parceria com o governo da Canadá.  Mendez conhecia o veterano maquiador John Chambers, responsável pela maquiagem de Planeta dos Macacos, para isso, Chambers contratou um especialista em efeitos especiais, Bob Sidell, o projeto do filme falso acabou por usar o roteiro de Lord of the Light e passou a se chamar Argo. A operação, chamada de Canadian Caper, não foi revelada para muitos, nem mesmo Geller ficou sabendo.

Desde 1987, o quadrinhista Jim Lee coleciona arte originais de histórias em quadrinhos, em 1993, comprou duas artes originais de Kirby que estavam sendo vendidas em um leilão por Barry Geller (com autorização de Kirby), que estava vendendo para ajudar a pagar as mensalidades da faculdade de seu filho. A operação só foi revelada em 1997, quando Jack Kirby, três anos após o falecimento de Jack Kirby. Lee só ficou sabendo da história em 2007, em matéria da revista Wired.



 Em 2012, a história da missão virou um filme dirigido e estrelado por Ben Aflfleck chamado Argo, o filme toma liberdades (possivelmente por problemas de direitos autorais), Argo era um pastiche rejeitado de Star Wars, Jack Kirby (interpretado por Michael Parks) é contratado pela CIA para fazer os storyboards, que se assemelham aos concepts de Ralph McQuarrie (reforçando a ideia de pastiche de Star Wars) e os storyboards de Alex Tavoularis, storyboards usados no filme foram feitos por Len Morganti com colaboração de Michael Maher.

Na vida real, a Universal lançou duas série produzidas por Glen A. Larson: Battlestar Galactica e Buck Rogers e contratou o próprio McQuarrie para os concepts.


Em agosto de 2013, Jim Lee leiloou duas artes originais de Kirby, também com o objetivo de pagar pela faculdade de seus filhos. A revista Heavy Metal publicou duas capas usando as artes de Kirby, nas edições 273 e 276.

Concepts de Jack Kirby, fãs dos quadrinhos notam influências de outros trabalhos de Kirby, como o vilão Galactus e o Cubo Cósmico.

Em 2017, a Universal Cable Productions anunciou um projeto de série de TV de Lord of the Light pela Valhalla Entertainment da produtora e roteirista Gale Anne Hurd, responsável pela série The Walking Dead. 















Capas da Heavy Metal








Storyboards de Len Morganti com participação de Michael Maher.






Links úteis



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Muttley e Rabugento

Muttley e Rabugento (Mumbly no original) são bem parecidos, nesse texto pretendo explicar as origens criativas contar um pouco da história desses personagens ao longo dos anos.

Mangás brasileiros ao longo das décadas

Esse texto é uma atualização do texto publicado no site Kotatsu Wikia, onde fui convidado a colaborar em um texto pré-existente.


Histórias em Quadrinhos em domínio público nos Estados Unidos

Quando se diz que uma obra está em domínio público, significa que seus direitos expiraram e que pode ser usada livremente. Contudo, definir o domínio público não é uma tarefa fácil.