Marcadores

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Buck Rogers in the 25th century





O protótipo do que viria a ser a Buck Rogers in the 25th century é a novela Armageddon 2419 A.D.,  escrita por Philip Francis Nowlan (1888-1940) e publicada na edição de agosto de 1928 da revista pulp Amazing Stories. A trama contava a história de Anthony Rogers, um veterano da Primeira Guerra Mundial que entra em animação suspensa ao entrar em uma caverna e inalar um gás, Rogers acorda no século XXV, onde a humanidade foi dominada pelo povo Han da China, Rogers conhece Wilma Dering e se une a ela contra os Hans (numa época em que o perigo amarelo era algo constante), Rogers tem acesso a uma tecnologia antigravitacional que o permite voar com um jetpack ou propulsor à jato. Uma curiosidade, embora a capa da edição, produzida por Frank R. Paul  mostre um homem voando, essa arte não representa a novela, mas sim Skylar of Space de E.E "Doc" Smith (o pai do subgênero space opera). No Brasil, a novela foi publicada em 2012 pela Dracaena, uma editora de livros sob demanda.
                               







 A novela chamou a atenção de John Flint Dille (1884-1957) do syndicate National Newspaper Service, que propõe que Nowlan transforme a novela em uma tira de jornal, o personagem muda de nome de Anthony para Buck, inspirado no ator-cowboy Buck Jones, Jones licenciou seu nome para diverso produtos, inclusive histórias em quadrinhos, produzidas mesmo depois de sua morte em 1942, algo que também ocorria com Tom Mix, um cowboy que faleceu em 1940.

Amazing Stories, agosto de 1928, capa de Frank R. Paul


Outra história oriundas dos pulps, Tarzan de Edgar Rice Burroughs também estava sendo transportada paras as tiras por Hal Foster, naquele mesmo ano nas páginas da revista britânica Tits-Bits (algumas fontes dizem outubro, outras novembro de 1928). Dille consegue que a estréia de Buck Rogers coincida com a estréia de Tarzan nos jornais americanos, 7 de janeiro de 1929, o que desencadearia uma onda tiras de aventura e consequentemente, os super-heróis (ver outra postagem do blog). A arte ficou a cargo de Dick Calkins nas tiras diárias, um veterano da Primeira Guerra Mundial,  Zack Mosley atuou como assistente de Calkins, as histórias foram roteirizadas pelo próprio Nowlan até 1939, quando Calkins também assumiria os roteiros.


Em março de 1929, é publicada uma sequência de Armageddon 2419 A.D. nas páginas da Amazing Stories, chamada The Airlords of Han.


Também em 1929, Calkins produziu a tira Skyroads, criada por ele e o piloto Lester J. Maitland, essa foi a segunda tira sobre a aviação Tailspin Tommy, ilustrada por Hal Forrest, que estreou em novembro de 1928, Mosley também trabalhou como assistente de Calkins nessa tira.



Em 1930, surge a prancha dominical, ao invés de tiras, o jornal publicava semanalmente um suplemento no formato tabloide, onde eram publicadas páginas de várias séries (algumas séries eram publicadas em pequenos espaços das páginas conhecidos como toppers). Essa outra série era desenhada por Russel Keaton, um "desenhista fantasma" ou seja, não-creditado, alguns fontes indicam que Keaton foi também foi assistente de Calkins em Buck Rogers e Skyroads, Keaton ficou na tira até 1933, sendo substituído por Rick Yager, o roteiro foi produzido por Nowlan até 1937, quando Yager também assume os roteiros.



A tira de Buck Rogers se notabilizou pelas naves e pelas armas de raios, embora a tira não tenham criado as armas de raios (A Guerra dos Mundos de HG Wells já trazia o conceito), os designs das pistolas de Buck Rogers se tornariam icônicas.


Logo surgiriam outros heróis para concorrer com Buck Rogers, a King Features Syndicate lançou dois desses Brick Bradford (1933) e Flash Gordon(1934), Bradford, criado por Clarence Grey (roteiro) e William Ritt (desenhos)  surgiu como uma tira de aviação e posteriormente teria aventuras de ficção científica (não apenas histórias espaciais, mas também viagem no tempo), já Flash Gordon teria surgiu de um projeto de John Carter, outra criação de Edgar Rice Burroughs, um terráqueo que vai parar no Planeta Marte (chamado de Barsoom), Carter era um representante dos subgêneros de romance planetário e espada e planeta, o syndicate não conseguiu licenciar John Carter e propôs uma reformulação a Alex Raymond (que havia trabalhado como assistente nas tiras Tillie the Toiler e Tim Tyler's Luck), Raymond então foi buscar inspiração em outra história de ficção, When Worlds Collide de Philip Wylie e Edwin Balmer, sobre um planeta órfão em que estava em rota de colisão com a Terra, o  resultado foi uma fusão de elementos das duas histórias, nela o planeta Mongo, dominado por Ming, o impiedoso, um alienígena nitidamente um asiático, seu nome é uma alusão a uma dinastia da China, Burroghs teria dito que Flash Gordon era John Carter com outro nome, Raymond diferenciava de Calkins, pois possuía um estilo acadêmico (tal como Hal Foster), já Calkins possuía um estilo cartunesco.

Em 1932, é lançado o romance  Buck Rogers: An Autobiography, escrito por Nowlan e ilustrado por Calkins, onde a história de Buck Rogers é recontada. Nesse mesmo ano, o personagem ganha um programa de rádio pela CBS Radio, onde foi interpretado por Matt Crowley, Curtis Arnall, Carl Frank, John Larkin, a série durou até 1947.

Em 1933, Buck Rogers passa a ter diversos produtos licenciados, como as armas de raios de brinquedo.



 É lançado um curta-metragem de 10 minutos, Buck Rogers in the 25th Century: An Interplanetary Battle with the Tiger Men of Mars apresentado na World's Fair 1933-1934 de Chicago, estrelado por John Dille Jr. (filho de John Flint Dille) e dirigido por Dr. Harlan Tarbell, logo em seguida, esse curta seria exibido em lojas de departamentos como peça publicitária para os produtos da franquia.



A Witman, selo da Western Publishing, lança os Big Little Books (tijolinhos no Brasil) de Buck Rogers, trata-se de livros pequenos que traziam histórias ilustradas, geralmente usando artes dos quadrinhos.


Também em 1933, a John F. Dille Company anuncia uma tira baseada em When Worlds Collide, contudo, a tira, chamada Speed Spaulding, só seria lançada em 1940, os desenhos teriam sido feito por artistas fantasmas: Marvin Bradley, Leonard Dworkins e William Juhre, ambos eram colaboradores regulares de Dille, Dworkins desenhou Buck Rogers e Skyroads, Juhre apenas em Buck Rogers.

Em 1934, a Eastern Color lança a revista Famous Funnies, que republicava tiras de jornal, desde a quinta edição, foram publicadas histórias de Buck Rogers, em 1938, aparece nas duas edições da revista Vicks Comics da mesma editora.



Conforme comentei acima, Buck Rogers inspirou a criação de Flash Gordon, aparentemente são personagens diferentes, contudo, a Universal Pictures acabaria confundindo os fãs (assim como a Republic Pictures fez com Zorro e Lone Ranger), em 1936, lançou um seriado cinematográfico de Flash Gordon estrelado por Buster Crabbe (1907-1983), em 1938, lançou uma sequência, Flash Gordon's Trip to Mars, em 1939, escalou Crabbe para o papel de Buck Rogers, o seriado teve algumas mudanças, dessa vez, Buck Rogers era um tenente,  que ao lado de seu sidekick, Buddy Wade, voava em um dirigível rumo ao Polo Norte, mas ambos acabam inalando um gás e entrando em animação suspensa, acordando em 2440, quando a humanidade está sendo dominada por ditador chamado Killer Kane (oriundo das tiras de jornal). Pra confundir mais ainda o espectador, o estúdio lança em 1940 Flash Gordon Conquers the Universe, também estrelado por Crabbe.


Em 1940, a editora Eastern Color lança uma revista própria de Buck Rogers, ainda com republicações, mas com capas do próprio Calkins e de Stephen A. Douglas, que também trabalhou na Famous Funnies, a revista durou apenas seis edições, o nome Famous Funnies era usado na capa, servindo como se fosse um selo ou linha editorial "This a Famous Funnies Publication". Rogers continuou aparecendo na edição 82 da Famous Funnies, em maio de 1941, foi publicada a primeira capa trazendo Buck Rogers, o artista não foi identificado.




Entre 1950 e 1951, ganhou uma série de TV exibida pela ABC, foi interpretado por 3 atores: Earl Hammond, Kem Dibbs e Robert Pastene, a série foi mais fiel ao material original e teve 36 episódios, com duração de 30 minutos.


Em 1951, a editora lança uma revista baseada no ator Buster Crabbe, também com o selo "This a Famous Funnies Publication", além de Buck Rogers e Flash Gordon, o ator interpretou Tarzan em um seriado e protagonizou filmes de faroeste, a revista enfocava diversas aventuras distintas por Crabbe, fossem elas no Velho Oeste ou no espaço (embora o próprio Crabble fosse o herói delas), a revista chegou a ter capas de Frank Frazetta e arte interna de Al Williamson (que também ilustrou Flash Gordon para os jornais e revistas da King Features e Marvel Comics).

Al Williamson, Frank Frazetta, Roy Krenkel eram amigos e ficaram conhecidos como Fleagles Gang.

Buster Crabbe 5, arte de Frank Frazetta


Os seriados eram reprisados na televisão, por isso as capas traziam menções a Crabbe como um herói da TV (embora depois ele estrearia numa série de TV, Captain Gallant of the Foreign Legion de 1955 a 1957), o seriado Buck Rogers foi relançado como um longa-metragem chamado Planet Outlaws, em 1965, foi exibida TV outra versão editada como filme, Destination Saturn.



Em 1953, a Warner Bros. lança o curta animado Duck Dodgers in the 24½th Century, uma paródia do herói, dirigida por Chuck Jones e estrelada pelo Patolino.

Arte de Tom Whalen


Entre 1953 e 1955, Rogers aparecem em nada menos que oito capas da Famous Funnies (209-216), todas assinadas por Frank Frazetta, o artista havia produzido outra capa, mas foi considerada muito violenta para a editora, ele conseguiria vendê-la para a lendária EC Comics, que reproduziu em Weird Science-Fantasy #29 (maio-junho de 1955).










Entre 1953 e 1954, Crabbe ganhou uma nova revista, dessa vez pela Leav Gleason, The Amazing Adventures of Buster Crabbe.



A partir de meados da década de 1950, a DC Comics começou a lançar heróis com inspiração na ficção científica, tal como o Space Ranger (inspirado no herói Lucky Starr, criado por Isaac Asimov), outro desses heróis estava Adam Strange, criado por Gardner Fox e Mike Sekowisky, Strange pode ser descrito como um misto de John Carter, Buck Rogers e Flash Gordon. Adam Strange era um arqueólogo que estava investigando escavações no Peru, quando é teletransportado para o Planeta Rann em Alfa Centauro (semelhante a John Carter, que foi teletransportado para Marte), lá conheceu a Alanna, a filha de um cientista de Rann e ganha um jetpack e uma pistola de raio.  A inclinação da editora para a ficção científica foi sugestão do editor Julius Schwartz, que antes de entrar para a editora em 1944, produziu o fanzine Time Traveller ao lado Mort Weisinger e Forrest J. Ackerman, um dos primeiros fanzines da história, lançado em 1932, além de ser editor literário de o Alfred Bester, Stanley G. Weinbaum , Robert Bloch, Ray Bradbury, e HP Lovecraft, Bester chegou a ser roteirista da DC, ironicamente, Garner Fox começou como roteirista de quadrinhos e depois publicou histórias de ficção científica e fantasia em revistas pulp. Murphy Anderson, que desenho Buck Rogers de 1947 a 1959, também  ilustrou e arte-finalizou histórias de Adam Strange essa últimas ilustradas por Carmine Infantino e de John Carter, inclusive com uma capa inspirada numa das capas de Frank Frazetta. Na década de 1940, Anderson também ilustrou Star Pirate na revista Planet Comics da Fiction House.


Buck Rogers por Muprhy Anderson
Mystery in Space 69, agosto de 1961, arte de Carmine Infantino e Murphy Anderson
Star Pirate da revista Planet Comics, setembro de 1947, arte de Murphy Anderson


John Carter por Murphy Anderson


Em 1962, a Avalon Books publicou o livro Armageddon 2419 A.D que unia as duas primeiras novelas de Buck Rogers como um romance, o livro teve edição de Donald A. Wollheim e capa de Ed Emshwiller (o primeiro ilustrador Tropas Estelares de Robert A. Heinlen).


Em 1964, a Gold Key (selo de quadrinhos da Western) publicou uma revista de Buck Rogers que teve apenas uma edição, a história foi roteirizada por Paul Newman e ilustrada Ray Bailey




Em 1967, as tiras de Buck Rogers são canceladas, parecia o fim da franquia, até os anos 70.

Em 1971, o jovem cineasta George Lucas lança seu filme de estréia, THX 1138, baseado em um curta lançado por ele quando estava na faculdade, o filme foi produzido pela American Zoetrope, produtora fundada em 1969, por Lucas e Francis Ford Coppola, o filme foi distribuído pela Warner Bros.

O filme era ficção científica distópica, onde a sociedade é vigiada por androides, o leitor deve está se perguntando o que isso tem a ver com Buck Rogers?

Quando era criança, Lucas era fã de seriados cinematográficos da Universal e da Republic, particularmente de Flash Gordon e Buck Rogers estrelados por Buster Crabbe.



A montagem original trazia um pequeno trecho de Things to Come (1936), um filme inspirado em dois livros de HG Wells, o romance The Shape of Things to Come, de 1933 e The Work, Wealth and Happiness of Mankind, um livro de economia do escritor publicado em 1931.

A conexão com a Buck Rogers aparece apenas em 2004, quando Lucas lançou um DVD do tipo versão do diretor, onde colocou um trecho do seriado de Buck Rogers.


Buck Rogers também pode ter sido uma influência em um projeto de Gene Roddenberry, criado de Star Trek/Jornada nas Estrelas, em 1972, esboçou um piloto para uma série de televisão produzido pela Warner Bros. Television para CBS chamado Genesis II, nele um cientista da NASA chamado Dylan Hunt (interpretado por Alex Cord) entra em animação suspensa em 1979 e acorda em um futuro pós-apocalítico, o piloto não foi aprovado, mas foi exibido pela CBS como um filme para a televisão em março de 1973, a CBS chegou a encomendar quatro episódios ao roteirista, mas com a exibição do primeiro filme da franquia Planeta dos Macacos (1968), a emissora desistiu do projeto e resolveu lançar em setembro de 1974, uma série de Planeta dos Macacos, essa série acabou não sendo bem sucedida e foi cancelada em dezembro do mesmo ano, após 14 episódios. Roddenberry


Ainda em 1974, Roddenberry reformulou o projeto, dando o nome de Planet Earth e apresentou para a ABC, esse piloto foi estrelado por John Saxon como Dylan Hunt, essa versão foi muito comparada com Star Trek, o Dylan Hunt de Saxon lembrava o Capitão Kirk interpretado por William Shatner, nessa versão, os homens são escravizados por amazonas espaciais. Em 1975, outro piloto foi produzido para a ABC, dessa vez sem o envolvimento direito de Roddenberry, chamado de  Strange New World, contou novamente com Saxon no papel principal, mas não como Dylan Hunt, mas sim como Capitão Anthony Vico, dessa vez, três astronautas estavam em animação suspensa, esse filme é considerado inferior aos dois anteriores. Em 2000, Majel Barrett-Roddenberry, viúva do roteirista, que atuou como atriz em Star Trek, conseguiu transformar o projeto em uma série de TV chamada Andromeda, estrelada por Kevin Sorbo (conhecido pelo papel de Hércules numa série), nela, Hunt não entra em animação suspensa, ele é o capitão da nave Andromeda no ano de 4864 e vai parar 303 anos no futuro ao entrar em buraco de minhoca, produzida por Tribune Entertainment, MBR Productions, Inc. e Fireworks Entertainment, a série foi exibida pelo Sci-Fi Channel (atualmente conhecido como SyFy), um canal pertencente a Universal e teve cinco temporadas, totalizando 110 episódios.
                                          

Ainda na década de 1970, George Lucas descobriu que o produtor italiano Dino De Laurentiis possuia os direitos para um filme de Flash Gordon, Laurentiis planejava que o filme fosse dirigido pelo cineasta Federico Fellini, conhecido por ser fã de quadrinhos, contudo, o cineasta nunca gostou de adaptações cinematográficas e recusou o convite, anos mais tarde, Fellini chegou a dizer que roteirizou quadrinhos da franquia nos anos 30, após uma proibição imposta pelo regime de Mussolini, o que se provou ser um boato. George Lucas tentou convencer Laurentiis que ele poderia dirigir o filme, Laurentiis recusou, Lucas descobriu que Flash Gordon fora inspirado em John Carter e que antes dele, havia Gullivar Jones de Edwin Lester Arnold, então começou a esboçar um projeto de filme de ficção científica do subgênero space opera, intitulado "The Star Wars", Star Wars foi lançado em 1977, produzido pela LucasFilm e distribuído pela 20th Century Fox (que havia lançado os filmes da franquia Planeta dos Macacos), para promovê-lo, começou a explorar comercialmente com diversos produtos, incluindo quadrinhos pela Marvel Comics, sendo até desenhada por Al Williamson, um dos desenhistas de Star Wars. Conforme vistou no filme Argo de 2012, sobre um filme nunca realizado de ficção científica, Star Wars trouxe de volta o interesse por produções de ficção científica no cinema e na TV, ironicamente, no filme, o agente Tony Mendez tem a ideia ao assistir um filme de Planeta dos Macacos na televisão, mas Star Wars é citado no decorrer da história.
Vídeo comparando a abertura de Flash Gordon e de Star Wars

Ainda em 1977, a Universal resolveu aproveitar o sucesso do filme de Lucas e relança outra versão editada do seriado Buck Rogers, mostrando como um predecessor de Star Wars. Em 1978, aprova a série Battlestar Galactica (no Brasil, Galactica: Astronave de Combate), criada pelo produtor Glen A. Larson, conhecido pelas séries Magnum, PI, O Homem de Seis Milhões de Dolares (baseado no romance Cyborg de Martin Caidin) e sua sequência, a Mulher Biônica e Knight Rider (A Super Máquina no Brasil), lançado um piloto nos cinemas, embora Larson tenha dito que o projeto existia desde 1968 e que a inspiração foi a teologia Mórmon (uma vez que ele era membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias), Star Wars inspirou esteticamente a série, tendo inclusive contrato Ralph McQuarrie, um design de aeronaves que havia trabalhado em Star Wars, em 1979, lança Buck Rogers in the 25th Century, alguns dos designs das naves foram inspirados em concepts criados por McQuarrie para Galactica, a série foi estrelada por Gil Gerard, a série homenageou alguns nomes da ficção científica, nos episódios 3 e 4 (Planet of the Slave Girls, Part 1 & 2), Buster Crabbe aparece como o Brigadeiro Gordon, uma dupla homenagem ao ator que interpretou os dois heróis pela mesma Universal (algo que Warner também tem feito há um bom tempo em séries e filmes da DC), nos episódios 6 e 7 (The Plot to Kill a City, Part 1 & 2), escrito por Alan Brennert, um anúncio em alto falante menciona o Doutor Adam Strange de Alfa Centauro, Brennert também roteirizava quadrinhos para Marvel e DC, na Marvel escreveu quadrinhos de Star Trek, na segunda temporada e última temporada, lançada em 1981, Jay Gardner interpretou o Almirante Efram Asimov, um descendente do escritor Isaac Asimov. Além disso, os robôs Twiki e Crichton são robôs positrônicos, Crichton cita as Três Leis da Robótica formuladas por Asimov.


Em 1984, Asimov citou Buck Rogers em um artigo:

Recentemente, dois astronautas flutuaram livremente no espaço, antes de seu ônibus espacial pousar na Flórida. Eles não ficaram ligados à espaçonave. Saíram dela e retornaram. Os mais velhos se lembrarão das histórias em quadrinhos de Buck Rogers, nos anos 30 e 40. Tudo isso - o passeio espacial, a espaçonave movida a foguetes, a mochila nas costas - já tinha acontecido nesses desenhos. Fonte:A divulgação científica nos quadrinhos


Além 
Galactica teve um reboot em 2003.


Buck Rogers, arte de Boris Vallejo

Posters de Buck Rogers, a concepção lembra o posters de Star Wars






Buster Crabbe em dois momentos, em 1939 e em 1979 (ao lado de Gil Gerard).


De acordo com o blog Space: 1970 do roteirista Christopher Mills, o projeto original da série era bem diferente, mais próximo de Star Trek, o produtor seria Andrew J. Fenady, o piloto foi escrito por Samuel Peeples, o roteirista do segundo episódio de Star Trek, os roteiros seriam supervisionados por David Gerrold (outro roteirista de Star Trek), além de contar com  DC Fontana (roteirista de Star Trek e Logan's Run) e Dick Morgan (roteirista da série Space Patrol dos anos 50), os concepts (divulgados pela revista Starlog) eram de Bob McCall. design 2001: Uma Odisséia no Espaço e Black Hole, um filme da Disney, ironicamente, Jack Kirby produziu quadrinhos baseados nos dois filmes, Bob McCall trabalhou na NASA e também produziu concepts para o  primeiro filme de Star Trek de 1979 e ilustrou o livro Our World in Space de Isaac Asimov (1974).




Também em 1979, uma nova tira é lançada, roteirizada por Jim Lawrence e desenhos de Gray Morrow, que assim como Frazetta, transitava entre quadrinhos e ilustrações de ficção científica, foi capista da versão americana da série alemã Perry Rhodan. Em 1981, o roteiro é assumido por Cary Bates, em 1982, Jack Sparling substituiu Morrow até o cancelamento da tira em 1983



Buck Rogers por Gray Morrow

A Gold Key dá continuidade a revista lançada em 1964, dessa vez baseada na série de TV, publicando mais três números, com roteiros por Paul S. Newman, ilustradas por Frank Bolle e Al McWilliams, por fim, novos quadrinhos são publicados em 1981, a revista britânica Look-In publicou quadrinhos baseados na série, roteirizadas por Martin Asbury, Arthur Ranson e John M. Burns com desenhos de Angus P. Allan, a revista publicava quadrinhos baseados em séries exibidas pela ITV no Reino Unido. Também teve histórias na revista britânica TV Tops.





A versão televisiva também foi explorada na literatura, a Dell publicou dois livros escritos por Richard A. Luppof (assinando como Addison E. Steele): Buck Rogers in the 25th Century (1978) e Buck Rogers: That Man On Beta (1979), esse último baseado em um roteiro não utilizado na série.

A Golden Press (um selo da Western em parceira com a Pocket Books) publicou Golden Press' Buck Rogers, também baseado na série, escrito por Carole Pierce e Robert Pierce e Buck Rogers and the Children of Hopetown, escrito por Ravena Dwight, com desenhos de Kurt Schaffenberger.




Em 1980, a Universal lança o filme Flash Gordon produzido por Dino De Laurentiis, Mike Hodges e estrelado por Sam J. Jones.

Também em 1980, a Gottlieb lança um pinball de Buck Rogers.

Outra série literária baseada na franquia foi lançada pela Ace na década de 1980, baseada em um esboço de Larry Niven e Jerry Pournelle, levemente inspirada no romance da dupla, Lucifer's Hammer (1977), os livros davam sequencia a novela original, mostrando o personagem com o nome de Anthony Rogers, foram publicados os livros:

Mordred por John Eric Holmes (1981)
Warrior's Blood por Richard S. McEnroe (1981)
Warrior's World por Richard S. McEnroe (1981)
 Rogers' Rangers por John Silbersack (1983)

Em 1982, a produtora japonesa SEGA lança para arcade (fliperama) Buck Rogers: Planet of Zoom, um jogo de tiro em terceira pessoa do tipo shoot'em up.



Novamente parecia que era o fim de Buck Rogers, em 1982, Gary Gygax, cocriador do RPG Dungeons and Dragons e fundador da editora TSR, Inc. começou a tentar negociar a franquia para a cinema e a TV, em 1983, conseguiu licenciar uma série animada de mesmo nome (conhecida no Brasil como Caverna do Dragão) produzida pela Marvel Productions e exibida pela CBS. Nessa época, Gygax conheceu Flint Dille, neto de John Flint Dille e herdeiro da franquia Buck Rogers (representado pela empresa Dille Family Trust), Dille também era roteirista de televisão e colaborou com Gygax em alguns trabalhos, como a série de livros-jogos Sagard the Barbarian, Dille foi o roteiristas de séries como GI JOE, Transformers entre outras. Em 1984, Gygax contratou Lorraine Dille Williams, irmã de Flint e que também herdará Buck Rogers, Lorraine tornou-se gerente da empresa, no ano seguinte, os irmãos Blume, que também eram acionistas da empresa, vendem sua parte para Lorraine, logo em seguida, o próprio Gygax acaba vendendo sua parte. Foi então que Lorraine teve a ideia de levar Buck Rogers para a TSR, explorando não apenas em RPGs, mas também em jogos de tabuleiro, livros, quadrinhos e videogames. Em 1988, a franquia passou a ser conhecida como Buck Rogers XXVc, Flint Dille criou a história por trás do universo compartilhando, dessa vez, Buck Rogers era um piloto de uma nave experimental americana lançada em 1999, os vilões deixam de ser os Hans e passam a ser a União Soviética (ironicamente, isso se tornaria anacrônico, já que está seria extinta em 1991), nessa versão, Rogers também entra em animação suspensa e acorda no século XXV. A adaptação usou as regras de Advanced Dungeons and Dragons (muitos anos antes de existir o sistema d20), jogos pela SSI (Strategic Simulations, Inc.), que já trabalhava com jogos de AD&D.

A editora lança alguns livros, em 1989, lança a antologia de contos  Arrival, com histórias de Flint Dille, Abigail Irvine, Melinda Seabrooke (M.S.) Murdock, Jerry Oltion, Ulrike O'Reilly e Robert Sheckley e logo depois as séries três trilogias




The Martian Wars

Rebellion 2456 por M.S. Murdock (1989)
Hammer of Mars por M.S. Murdock (1989)
Armageddon off Vesta por M.S. Murdock (1989)

The Inner Planets
First Power Play by John Miller (1990)
 Prime Squared by M.S. Murdock (1990)
Matrix Cubed by Britton Bloom (1991)

Invaders of Charon
The Genesis Web por Ellen C. & Theodore M. Brennan (C.M. Brennan) (1992)
Nomads of the Sky por William H. Keith, Jr. (1992)
 Warlords of Jupiter por William H. Keith, Jr. (1993)


Em 1990, a SSI lança o o RPG Buck Rogers: Countdown to Doomsday para as plataformas Commodore Amiga, Commodore 64, MS-DOS e Mega Drive, em 1992, lança uma sequência, Buck Rogers: Matrix Cubed, disponível apenas para MS-DOS.

Também em 1990, a TSR publica uma revista em quadrinhos intitulada Buck Rogers Comics Module, a revista teve dez edições e publicou três arcos de histórias escritas por Kim Mohan, Tom Whamm, Flint Dillie, Buzz Dixon com desenhos de Frank Cirocco, Kevin Altieri e Chuck Wojtkiewicz.



Em 1993, a editora publica High Adventure Cliffhangers Buck Rogers Adventure Game e High Adventure Cliffhangers Buck Rogers War Against The Han Campaign Supplement. O nome cliffhangers é uma alusão ao recurso de roteiro cliffhanger (ou gancho), usado nos seriados (e em outras narrativas) como uma cena de suspense sobre o episódio ou capítulo seguinte.


Em 1994, a Steve Jackson Games lançou o suplemento Lensman para o sistema GURPS, no Brasil, a Devir lançou apenas um suplemento ambientado no espaço: GURPS - Viagem Espacial

Em 1995, publica o romance Buck Rogers: A Life in the Future, escrito por Martin Caidin, o mesmo de Cyborg, livro deu origem ao Homem de Seis Milhões de Dólares, nessa versão, Rogers também é um ciborgue.




Em 1997, Lorraine Williams vendeu a TSR para Wizards of the Coast (a dona do card game Magic the Gathering), dois anos depois, a Wizards of the Coast seria comprada pela Hasbro.


Em 2008, foi dito que um filme de Buck Rogers poderia ser produzido, o roteiro seria de Frank Miller, que é um antigo amigo de Flint Dille. Ainda em 2008, Patrick de Leon apresentou um fanfilme de Buck Rogers em seu canal do Youtube, o Atomic Rayguns.



Em 2009, o personagem volta aos holofotes, a Dynamite Entertainment publicou uma série de quadrinhos, 13 edições, roteirizada por Scotty Beaty, com desenhos do brasileiro Carlos Rafael, com capas de John Cassaday e Alex Ross, no mesmo ano, dois action figures são lançados, um com visual clássico retrô pela Go Heroes e outro baseado na série de 1979 pela Zica Toys. No mesmo ano, a Cawley Entertainment Company (a mesma da série não-oficial Star Trek Phase II, baseada no projeto de Gene Roddenberry que acabou culminando no primeiro filme), anunciou uma websérie, estrelada por Bobby Quinn Rice como Lucas "Buck" Rogers e Gil Gerard e Erin Gray (Buck Rogers e Wilma Deering da série de 1979) como seus pais, no entanto, o projeto não foi pra frente, a produtora tentou um financiamento coletivo na plataforma Kickstarter, mas não atingiu a meta, desde então, nada mais foi dito sobre o assunto.


Em 2012, a Hermes Press publica uma série por Howard Chaykin, a editora também publica encadernados das tiras e das histórias da Western.




Em 2015, a editora BLAM! Ventures lançou uma série de antologias com novelas da franquia baseadas na série de 1979.

Lo, the Rings of Saturn (Draconian Fire) (Volume 1), escrito por Andrew E. C. Gaska com artes de Frank Bolle & Al McWilliams (2015)
Who Mourns for Theopolis? (Draconian Fire) (Volume 2)
Through Adversity to the Stars (Draconian Fire) (Volume 3)



Assim como Zorro, os direitos de Buck Rogers são questionados, ainda em 2015, o produtor Don Murphy da "Team Angry Filmworks afirmou ter interesse em produzir um filme do personagem e alega que ele está em domínio público, o mais estranho nesse processo, é que o roteiro seria do próprio Flint Dille e de Ed Neumeier. Murphy afirma que as produtoras Sony Pictures e Warner Bros. tiveram interesse na adaptação.

Buck Rogers continua sendo influente, em 2013, Christopher Mills lançou a webcomic Perils on Planet X, inspirado em Buck Rogers, Flash Gordon, John Carter e outros heróis espaciais, a tira é ilustrada por Gene Gonzales. Essa não foi a primeira webcomics de ficção científica retrô (embora fosse mais próximo de Flash Gordon e John Carter), entre 2000 e 2005, o veterano Jay Disbrow (1926-2017), publicou no site the Marvel Family, a webcomic Aroc of Zenith, porém, em 1979, publicou pela Fantagraphics, The Flames of Gyro  e em 1984, Lance Carrigan of the Galactic Legion pela Quest Publications.







Lista de autores das tiras de Buck Rogers

Tiras diárias

Jan. 1929 a setembro de 1939 - Dick Calkins (desenhos), Philip Nowlan (roteiro)
Set. 1939 a novembro de 1947 - Dick Calkins (desenhos); Dick Calkins (roteiro)
De 1947 a outubro de 1949 - Murphy Anderson (desenhos), Bob Williams (também conhecido como Bob Barton) (w)
Out 1949 a Jan 1951 - Leonard Dworkins (desenhos); John F. Dille, Sr (roteiro)
Janeiro de 1951 a junho de 1958 - Rick Yager (desenhos), Rick Yager (roteiro)
Junho de 1958 a abril de 1959 - Murphy Anderson (desenhos), desconhecido (roteiro)
Abril de 1959 a abril de 1960 - George Tuska (desenhos), Jack Lehti (roteiro)
Abril de 1960 a fevereiro de 1961 - George Tuska (desenhos), Howard Liss (roteiro)
Fevereiro de 1961 a maio de 1961 - George Tuska (desenhos), Ray Russell (roteiro)
De maio de 1961 a novembro de 1961 - George Tuska (desenhos), Fritz Leiber (roteiro)
De dezembro de 1961 a julho de 1967 - George Tuska (desenhos), Howard Liss (roteiro)

Assistentes
1929 a 1933 - Zack Mosley
1938 a 1942 - Leonard Dworkins
1951 a 1956 - Leonard Dworkins
1954 a 1955 - Dick Locher


Pranchas dominicais

Mar 1930 a setembro de 1933 - Russell Keaton (desenhos), Philip Nowlan (roteiro)
Out 1933 a abril de 1937 - Rick Yager (desenhos), Philip Nowlan (roteiro)
Maio de 1937 a junho de 1958 - Rick Yager (desenhos), Rick Yager (roteiro)
Julho de 1958 a abril de 1959 - Murphy Anderson (a), desconhecido (roteiro)
Abril de 1959 a abril de 1960 - George Tuska (desenhos), Jack Lehti (roteiro)
Abril de 1960 a fevereiro de 1961 - George Tuska (desenhos), Howard Liss (roteiro)
Fevereiro de 1961 a maio de 1961 - George Tuska (desenhos), Ray Russell (roteiro)
De maio de 1961 a dezembro de 1961 - George Tuska (desenhos), Fritz Lieber (roteiro)
De 1961 a junho de 1965 - George Tuska (desenhos), Howard Liss (roteiro)

Assistentes

1951 a 1956 - Leonard Dworkins
1957 a 1958 - William Juhre

Sub-tiras dominicais 
Novembro de 1934 a abril de 1937 - Rick Yager (desenhos), Philip Nowlan (roteiro)
Maio de 1937 a julho de 1937 - Rick Yager (desenhos), Rick Yager (roteiro)


Revival (1979-1983)

Set 1979 a fevereiro de 1981 - Gray Morrow (desenhos), Jim Lawrence (roteiro)
Fevereiro de 1981 a junho de 1982 - Gray Morrow (desenhos), Cary Bates (roteiro)
Jun 1982 a dezembro de 1983 - Jack Sparling (desenhos), Cary Bates (roteiro)


Fontes e referências
TSR (Company)
Buck Rogers - Wikipedia
Buck Rogers - International Heroes
The Return of Buck Rogers
Blast Off With The Original BUCK ROGERS... In 1977
Original Buck Rogers Novel ‘Armageddon 2419 A.D.’ To Blow Up Big Screen, Courtesy Of Angryfilms – Comic-Con
Buck Rogers - The Internet Speculative Fiction Database
Buck Rogers - Lambiek
Dick Calkins - Lambiek
Russel Keaton - Lambiek
Rick Yager - Lambiek
Adam Strange - Heróis de dois mundos
The Other BUCK ROGERS Novels
Buck Rogers - Bedeteca Portugal
List of Buck Rogers comic strips
Look-In Presents Buck Rogers In The 25th Century
THX 1138
Pesquisar quadrinhos: uma tarefa ingrata e desanimadora
Buck Rogers in the 25th century- SF Encyclopedia
Buck Rogers - TV Tropes
BUCK ROGERS - The Lost TV Series
Judge Rejects Film Producer's Bid to Have Buck Rogers Character Declared in Public Domain
Buck Rogers and the Copyright Trolls
Buck Rogers -HQ Quadrinhos
Heróis Espaciais - Buck Rogers - JJ Marreiro
Heróis do Espaço... Homens do Espaço!
Philip Francis Nowlan - The Evolution of Buck Rogers, 1928 - 1981
Buck Rogers in the 25th Century Wiki
Buck Rogers contre Mars
Especial Buck Rogers (contendo uma adaptação pra Daemon RPG) por Adriano Cleber Tume
O que raios é uma arma de raios?
Space Dragon Mini – Adaptação do Pocket Dragon


Nenhum comentário:

Postar um comentário