Marcadores

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Os Judocas

Personagens de quadrinhos que praticavam judô eram bastante comuns na Era de Ouro. Dois deles inclusive traziam lições para os leitores: Black Cat (Pantera Negra no Brasil) da Harvey Comics (1941 - 1951) e Judo Joe, da Jay-Jay Corporation  (1953). Porém, essa matéria é sobre séries conhecidas como "O Judoka" ou "O Judoca".


A revista O Judoka da Ebal


Fase Judô-Master

Em 1969, a EBAL lança a revista "O Judoka". A revista trazia as histórias da revista Judomaster, da Charlton, estrelada pelo herói homônimo (grafado como Judô-Master) criado por Joe Gill e Frank McLaughlin (que praticava judô).

Judomaster (ou Mestre Judoca como é conhecido atualmente no Brasil) estreou em Special War Series #4 (Novembro de 1965), escrita por Joe Gill e desenhada por Frank McLaughlin. Na Segunda Gerra Mundial, o sargento americano Hadley "Rip" Jagger salva a filha de um chefe tribal do Pacífico, ele então resolve ensinar as técnicas de judô. No mês seguinte,  o Judomaster apareceu em Sarge Steel #6 (Dezembro de 1965). Nno ano seguinte, ganhou uma revista própria, que começou pela edição #89 (Maio-Junho de 1966). Na verdade a revista assumiu a numeração da revista Gunmaster, uma revista de histórias de faroeste (uma pratica comum no mercado de quadrinhos). Como é comum em quadrinhos de super-heróis, o Judomaster ganhou um sidekick, um garoto japonês que assumiu a identidade secreta de "Tigre". A revista durou 7 edições e foi cancelada. O Judomaster permaneceu no limbo editorial, na década de 1980, a DC comprou a Charlton Comics, e os personagens da editora passaram a fazer parte da Terra-4. O personagem apareceu na mini-série Crise nas Infinitas Terras , que gerou um reboot na editora, onde as terras paralelas foram reunidas em apenas uma. Na nova cronologia, o herói é descrito como um dos membros do All-Star Squadron.

ebal




Fase O Judoka brasileiro

Após 6 edições, a Ebal deixa de publicar o Judomaster (que possuía apenas 8 histórias), a editora optou por lançar um novo herói com identidade brasileira. De acordo com o jornalista e quadrinista, Ota, o jornalista Adolfo Aizen já planejava a criação de um herói local e resolveu experimentar o título.

o judoka ebal




Em Outubro de 1969 é lançada a revista O Judoka #7 (trazendo a seguinte inscrição: Judoka, um herói brasileiro), com capa de Monteiro Filho, roteiro de Pedro Anísio e desenhos de Eduardo Baron. Essa edição conta a história do jovem Carlos da Silva, que passa a ser treinado pelo shihan (mestre) de judô chamado Minamoto. Após salva-lo de um acidente de caminhão, ele então assume a identidade O Judoka. Logo depois, Lucia, namorada de Carlos, também passa combater o crime. O nome do mestre é possivelmente uma alusão a "Iso Mataemon Ryūkansai Minamoto no Masatari", fundador da escola de jiu-jitsu Tenjin shinyō-ryū, o fundador do judô, Jigoro Kano foi aluno da escola.



 Em 1970, o Judoka foi desenhado por Eugênio Colonnese em Chamada Geral - Epopéia, uma edição comemorativa aos 25 anos da editora. Na história, roteirizada por Pedro Anísio, aparecem vários  personagens publicados pela editora até então, tais como Superman, Flash Gordon, Thor, Mickey Mouse e Tom & Jerry. Em O Judoka #27 (1971), Floriano Hermeto de Almeida Filho (que assinava FHAF) coloca Nick Fury em uma mensagem gravada em vídeo e enviada para O Judoka e Lúcia. O autor se declarou fã da fase do personagem desenhado por Jim Steranko. Fhaf não foi o único autor brasileiro a produzir histórias locais do agente da SHIELD, a editora Trieste publicou algumas histórias locais na revista própria do herói (1969).



Capitão América, Thor, Superman e Judoka por Eugênio ColonneseO Judoka e Nick Fury por Fhaf

A revista durou 52 edições e foi publicada até Julho de 1973, passaram pela revista: Mário Lima, Juarez Odilon, Cláudio de Almeida, Francisco Sampaio, Fernando Ikoma (que começou a carreira na EDREL) e Alberto Silva.

Em 1973, O Judoka foi adaptado para os cinemas, estrelado por  Pedro Aguinaga (Carlos) e Elizângela (Lúcia), o filme foi dirigido por Marcelo Ramos Motta e roteirizado Marcelo Ramos Motta por João Renato Correia, Marina Saraiva e Danilo Marcondes de Souza Filho (diálogos) e produzido pela Ipanema Filmes e distribuído pela Embrafilme. 




A segunda versão da revista O Judoka
A Ebal tinha como costume reaproveitar títulos de revistas anteriores. Entre 1976 e 1977, a editora lançou uma nova revista com "O Judoka Apresenta", nela foram publicadas histórias de "Richard, Dragon o Dragão do Kung Fu", personagem criado por Dennis O'Neil com o pseudônimo Jim Dennis para o romance Dragon's Fists (1974) e adaptado pelo próprio em título próprio (Richard Dragon, Kung-Fu Fighter 1975-1977), e que também eram publicadas em Kung Fu e do Karatê  Kid, o personagem título foi criado inicialmente por Jim Shooter em 1966 para a futurísta Legião dos Super-Heróis, que teve um título próprio entre 1976 e 1970. A revista durou 13 edições. Richard Dragon ainda teria uma única revista especial: Richard Dragon Kung Fu (Edição Extra de Kung Fu), publicada em 1982.

O reaproveitamento de títulos eram prática comum em algumas editoras na época para não ter que fazer um novo registro no Departamento de Censura da Policia Federal.

judoka dragão do kung fu richard dragon





O Judoca da Tatsunoko

Criado em 1961 por Ippei Kuri e o irmão Tatsuo Yoshida (criador de Speed Racer)  para a revista de mangá Shōnen Book, O Judoca (Kurenai Sanshiro no original) conta a história de Sanshiro, um jovem lutador de jiu-jitsu que busca a vingança contra um lutador caolho, o assassino de seu pai, o fundador da escola Kurenai (vermelho em japonês). Sanshiro viaja ao lado do garoto Ken (Kenbo no original) e do cachorro Xereta (Boke no original). Em 1968, surge uma nova versão do mangá, publicado nas revistas Weekly Shōnen Sunday e Weekly Shōnen Jump. Em 1969, a Tatsunoko (empresa fundada pelos irmãos Yoshida em 1962), adapta o personagem para um anime. A série chega no Ocidente com o nome de Judo Boy, e no Brasil passou a ser conhecido como O Judoca (o que não chega a ser um erro, uma vez que judô e jiu-jitsu são artes irmãs) e foi exibido nos anos 70 e 80. Em 2013, a distribuidora de vídeo Cult Classic anunciou o lançamento do anime em DVD, porém, sem a opção do áudio em português.

O nome do personagem possivelmente foi inspirado em Sugata Sanshiro, personagem de um romance homônimo (1942) de Tomita Tsuneo, Sugata foi  baseado em Shiro Saigo, que junto com o pai de Tsuneo, Tsunejirō, foram os primeiros discípulos de Jigoro Kano, Sugata Sanshiro ficou conhecido no cinema por uma série de filmes de Akira Kurosawa.

judo boy kurenai sanshiro o judoca





Na Itália, o personagem foi adaptado para os quadrinhos publicados nas revista La Banda TV, da Edizioni Edierre (1980), e Cartoni in Tivù, da Edizioni TV Milano (1981). O quadrinista Alexandre Nagado afirmou se inspirar em Sanshiro para retratar Dan Hibiki, em Street Fighter #20 (O Demônio Caolho) da Editora Escala, publicada em meados da década de 1990.





Agradecimentos ao Toni Rodrigues por esclarecer sobre a segunda encarnação da revista "O Judoca".


Fontes e referências:

Jornal da ABI #362 - A Cronologia dos Quadrinhos - Parte 2, Ota e Francisco Ucha


Jornal da ABI #362 - O golpe certeiro de um mestre do desenho , Paulo Chico                                                                                                                                                                                


Ebal 60 anos: uma celebração



Judomaster

Hadley_Jaggar_(New_Earth)/Appearances

Judomaster - Wikipedia

As Artes Marcias nas HQs - Parte 1

As Artes Marcias nas HQs - Parte 2

As Artes Marcias nas HQs - Parte 4

A complicada numeração das revistas americanas

Brasileiros desenhando heróis da Marvel

Memo, a revista da memória gráfica

Guia dos Quadrinhos

GuiaEbal

Judomaster #89

Judomaster - Toonopedia

Um Blog em Quadrinhos - O Judoka

Um Blog no Planeta Mongo - O Judoka

Todo judoca deve praticar Jiu-Jitsu – Saiba por que

O Judoca - Mofolândia

Judo Boy - #01 - Il Giuramento

Kurenai Sanshiro - Animes 20th Century

Street Fighter - O Demônio Caolho [HQ]

O Judoca - Um clássico animê de artes marciais


LA BANDA TV RAGAZZI (Ed. Edierre)

Black Cat (Harvey Comics)

Judo Joe

Nostalgia: A Pancadaria oriental


Artes marciais e ditadura brasileira: as histórias se cruzam? Incursões pelas páginas de O Judoka


O Judoka - Cinemateca Brasileira.

3 comentários:

  1. Muito boa esta sua matéria sobre O Judoka.

    Estou pesquisando e recolhendo material sobre este personagem (o brasileiro) para escrever um livro em que ele terá o maior destaque.

    Abraços
    JM Alvarez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado, eu vi sobre a sua pesquisa, fiz um texto mais sucinto, como sequencia fiz um sobre os gibis de Kung Fu:http://quadripop.blogspot.com/2014/07/bruceploitation-nos-quadrinhos.html

      Excluir
    2. quando o livro estiver pronto, basta avisar e coloco na lista de livros lançados no Brasil que tenho aqui no blog.

      Excluir